25 de mar de 2003

OUTRA VEZ O CALAZANS

Calazans, 25/03/2003: "Por falar em papel feio, tivemos também o do ex-presidente da Fifa João Havelange, que criticou João Saldanha e deu sua versão sobre a saída do técnico da seleção em 70, sem que Saldanha possa se defender e dar sua versão também."

No mínimo curiosa a ética do Sr. Calazans. O Sr. João Havelange é deselegante por fazer críticas a quem não pode mais se defender. Ele próprio pode criticar quem bem entender, nos termos que julgar convenientes, e jamais abrirá espaço para o ofendido manifestar-se. E não pede desculpas quando todas as evidências demonstram que está errado.

Ou será que eu perdi a coluna em que ele pede desculpas ao Felipão pelas críticas incivilizadas que fez ao técnico pentacampeão do mundo, ao técnico que provou, ao trazer o caneco, que seus métodos de trabalho frutificaram, a despeito das restrições imbecis do Sr. Calazans? Quem não se lembra da ironiazinha barata contra a "família Scolari"?

Isso para não falar da pretensão imbecil de dar por encerrado um capítulo da história pelo simples fato de um dos envolvidos estar morto. Onde estaria a historiografia se todos os personagens históricos seguissem a orientação cretina do Sr. Calazans e se abstivessem de escrever memórias e dar depoimentos porque morreram outros participantes do evento em questão?

Churchill jamais poderia ter escrito suas memórias da Segunda Guerra Mundial. Hitler não podia defender-se.

Nenhum comentário: