12 de fev de 2004

FOR THE ROAD:
AURIVERDE UNIFORME DA MINHA PÁTRIA
QUE A FILHA DA PUTA DA NIKE AVILTA E DESONRA




Uma última notinha antes de partir. Acabo de ver o novo uniforme da Seleção (foto) e não encontro palavras para exprimir a minha revolta. Deviam castrar o filho da puta responsável por um desrespeito desses, para não deixar descendência.

Essa não é a camisa do Zico, do Pelé, do Garrincha, do Gérson, não é a camisa do Didi, do Falcão, do Nílton Santos. Aquele círculo numerado na barriga -- parece uma bola de sinuca! -- é uma cusparada em cima da história dessa camisa, é um desrespeito contra o maior símbolo deste país.

Confesso que há muito não sinto mais tesão de ver a Seleção jogar, mas foda-se: a Amarelinha é um símbolo nacional tão representativo quanto a bandeira, o hino, o Cristo Redentor. Se querem encher o uniforme de viadagens para vender mais, que façam isso com a camisa nº 2, ou que criem um terceiro uniforme, não me oponho a nada disso. Mas com a Amarelinha, não, filhos da puta.

É preciso que as pessoas de discernimento orientem os bobos alegres que hão de se empolgar com a novidade e expliquem por que ninguém deve comprar essa camisa, por que ninguém deve dar dinheiro a esses desgraçados.

Lembram quando o Bragantino começou a incomodar os grandes, no começo dos anos 90? Logo, logo, apareceu um designer para bolar aquela camisa ultrajante que mais parecia uma vidraça estilhaçada. Deu certo: venderam-se toneladas daquela porcaria. Cansei de ver gente usando aquele trapo... no Maracanã! Claro, comercialmente, foi um êxito rotundo.

Estão tratando a camisa da Seleção como se fosse a do Bragantino.

Nenhum comentário: